Se me emprestas teus dias, eu já não me preocupo com o que fazer dos meus. Quantas coisas eu imagino que você faria, quantas vezes até hoje você me faz.
E se me empretas teu sotaque, eu digo que sinto uma falta imensa de ti. Digo que seu espaço em minha rotina continua em branco, opaco, triste e inerte, enquanto te espero voltar. Você volta, não volta? Para afastar essa inércia e essa tristeza que às vezes me consomem. Volte para colorir meus espaços, e encher os vazios com as suas filosofias de final de baile. Volte para me ouvir resignadamente, e eu te falo dos meus planos enquanto tento colaborar com os seus. Volte, porque seu sorriso tão aberto me vasculha e desenterra esse afeto em alguns segundos. E ser sua amiga - mesmo assim de longe - é meu modo de sempre voltar para ti.
De quando me emprestas tuas brincadeiras despreocupadas do mundo, eu digo que não me preocupo estando contigo. Digo que te deixaria me levar ainda mais alto nesse seu universo que eu desconheço. E eu não teria medo, estando com você.   Sua amizade me deu a chance de todas as coisas que aquela garota mimada talvez jamais conseguisse perceber sozinha. E tendo você por perto, eu percebi.
 Hoje digo que você se tornou minha companhia por tanto tempo, que a nossa coleção catalogada de boas lembranças, faz com que continues me acompanhando. E seu lugar continua a ser seu. Assim como os apelidinhos que pronuncio sempre lembrando de como costumávamos ser. Você lembra, não lembra? As risadas, as brincadeiras, os segredos, as apostas, as desculpas, as ideias e as piadas. Eu posso ainda ser sua 'sara xana', e você ainda será meu 'vinibosta'.
Me liguei em você. Tipo assim... bem mais do que eu planejava. Bem mais do que poderia ter sido, se eu não fosse tão certinha quanto me diz, e se a sorte não houvesse acertado tanto ao nos aproximar. E cortando essa de distâncias, quilômetros, meses e mudanças, na moral das minhas histórias, sempre haverá uma parte de vc. Para me salvar desse tédio, dessas exigências, desses medos, dessa organização excessiva e dessa angústia de me perder entre rostos previsíveis e sentimentos complicados. Porque quando nós estamos 'prossimos', sinto como se em volta tudo se descomplicasse, tá ligado?
Então por favor não mude, não me solte, não se afaste mais do que o suficiente para seguirem seu próprio caminho. Mas assim de longe, assim de dentro, continue caminhando comigo. Porque - por mais inacreditável que pareça - é sem você que eu me perco um pouquinho.

E Feliz aniversario! Que seus dias sejam sempre repleto de alegrias :)

Um comentário: